Home / Artigos / Importância do engenheiro mecânico na manutenção de equipamentos hospitalares

Importância do engenheiro mecânico na manutenção de equipamentos hospitalares

Publicado por: Rosano Almeida

Segundo dados do Ministério da Saúde, voltamos a crescer com relação ao número de mortes devido ao CoronaVírus (Covid-19). Chegando a 1 mil vidas ceifadas por dia no país. Isso é um fato que deve ser analisado com bastante cuidado para que não evolua ainda mais e não se mantenha e nem repita ao longo dos anos. As equipes de saúde junto com a imunização em massa estão fazendo progresso, e a engenharia pode contribuir muito com isso também. Os hospitais compõem uma grande união de profissionais da saúde que trabalham para salvar vidas e, durante a pandemia, tem sido um lugar de inestimável ajuda.

Porém, será que todos os equipamentos e atividades relacionadas aos cuidados prediais estão tendo manutenção correta de acordo com as normas e executando sua máxima capacidade com total eficiência? Para verificar isso, os fiscais do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MT) de todos os estados estão realizando vistorias nos hospitais para garantir a qualidade das ações relacionadas a Engenharia através da verificação dos engenheiros responsáveis pela realização de obras e reformas e pela conservação de elevadores, sistemas de ar condicionado, caldeiras e autoclaves, compressores, centrais de Gases Liquefeitos de Petróleo (GLP), geradores, instalações elétricas, sistemas de proteção contra descargas atmosféricas, como para-raios, instalações de internet e câmeras de vigilância, plano de gerenciamento do lixo, controle de pragas urbanas, instalações hidrossanitárias, sistemas de prevenção de combate a incêndio, equipamentos usados nos pacientes como o raio X, de tomografia e de ressonância magnética.

Os fiscais também analisam se todas essas manutenções estão sendo realizadas de acordo com o planejado por esses profissionais responsáveis.

Em Mato Grosso, 153 hospitais, caracterizados como de médio e grande porte, foram escolhidos para receber a visita dos fiscais. Até o final de janeiro, 99 hospitais tinham sido fiscalizados, os da cidade de Poconé, sendo os últimos. Já os demais serão até julho de 2022.

Uma das irregularidades encontradas é a falta de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), documento que comprova o acompanhamento do profissional da Engenharia responsável e capacitado. Já os sistemas de ar condicionado dentro das UTI’s devem receber manutenção constante e esse serviço deve ser planejado por um profissional da Engenharia Mecânica, então, assim que ele for fazer o serviço, deve ser emitida a ART no site do Crea-MT para que o Conselho fique ciente da intervenção de um engenheiro específico, garantindo que que esse trabalho seja feito com a máxima competência e da forma correta.

Outra irregularidade encontrada é com relação à falta de um profissional cadastrado no Crea-MT nas cidades próximas da divisa com outros estados, como Tocantins, Goiás e Pará. Essa determinação do Crea é muito importante para que haja uma procura por profissionais de Mato Grosso ao invés de estados vizinhos, valorizando ainda mais os engenheiros de estado Mato-grossense.

O que foi constatado pelos fiscais é que os municípios mais distantes do centro do estado, como Apiacás, no extremo norte, apresentam uma dificuldade na realização de manutenções dos equipamentos de unidades hospitalares públicos porque estão estragados há algum tempo. Então, por não funcionarem, acabam não recebendo multa. O procedimento para esses casos é informar ao Ministério Público o problema que está ocorrendo no local.

Outro dado interessante é que todos os hospitais do nosso estado que foram fiscalizados constataram irregularidade, mas os hospitais privados estão nitidamente com mais itens regulares do que os públicos.

Os hospitais têm alguns dias para regularizar cada situação fora das normas, data informada no auto de infração.

Todas essas ações buscam fazer com que os hospitais sejam um local seguro para os pacientes e para os funcionários, tornando nossa sociedade mais confiante de que o procedimento realizado pela equipe de saúde seja com eficácia em unidades hospitalares prontas para ajudar quem precisar.

 

Priscila Bernardi Rockenbach – Conselheira do Crea-MT e engenheira mecânica e de Segurança do Trabalho.

About rosano

Check Also

Cobrar ou não cobrar o ICMS na energia solar

Publicado por: Rosano Almeida Por Dra. Juliana Bueno Desde 12/07/2021, com a aprovação pela Assembleia ...