Home / Destaques / Patrulha Maria da Penha trabalhará em Várzea Grande e Livramento

Patrulha Maria da Penha trabalhará em Várzea Grande e Livramento

A Defensoria Pública de Mato Grosso participou da cerimonia de apresentação da Patrulha Maria da Penha, grupo de policiais militares que fará o acompanhamento e segurança de mulheres vítimas de violência que estão sob a proteção da Justiça, em Nossa Senhora do Livramento e Várzea Grande, na manhã desta terça-feira (30.10), em frente ao prédio da prefeitura, o Paço Couto Magalhães. 

Além da Patrulha, o Serviço Reflexivo para Homens (SER), cujo trabalho é sensibilizar legal, psicológica, comportamental e socialmente os agressores, também foi lançado. “A articulação intersetorial das instituições fortalece a Rede de Proteção à mulher em situação de violência no município e potencializa os serviços já existentes”, avalia a defensora pública Tânia Matos, que participa da iniciativa e reforçar a importância da medida para a garantia da vida.

A defensora explica que a Patrulha Maria da Penha efetiva a proteção de mulheres que têm medidas protetivas. “As vítimas receberão visitas frequentes da guarda municipal e da Polícia Militar, que trabalharão em conjunto, acompanhando a medida imposta. Posteriormente um relatório do trabalho será enviado para o Poder Judiciário”.

Já o SER, foi criado para atender aos homens que cometeram algum tipo de violência e responderão judicialmente pelos seus atos. Paralelo à ação, eles terão a oportunidade de participar das reuniões junto ao Centro de Referência e Assistência Social das duas cidades. Nesses encontros eles participarão de palestras, oficinas e farão reflexões sobre o seu comportamento.

Tânia explica que o projeto é piloto e a princípio, o grupo reflexivo atenderá 20 mulheres e 20 homens e a PM fará o acompanhamento da segurança de 30 mulheres dos dois municípios. “Eles farão o acompanhamento pelo critério do risco: elevado e médio”.

Todo o trabalho é resultado da assinatura do protocolo de intenções pela Prefeitura de Várzea Grande, Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e entidades da sociedade civil, firmado em 8 de março de 2018 e tem como objetivo integrar ações e serviços de diferentes setores, no atendimento à mulher vítima de violência.

A defensora lembra que a Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar Contra Mulheres de Várzea Grande e Nossa Senhora do Livramento é fruto de uma construção coletiva da sociedade civil: Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/VG), Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica de Mato Grosso (ABMCJMT), Liga das Irmãs Ofendidas em seu Sentimento (Lírios), Conselho Municipal de Direitos da Mulher de Várzea Grande, BPW-VG, Prefeituras de Várzea Grande e Nossa Senhora do Livramento, Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Defensoria Pública, do Ministério Público, Polícia Militar de Mato Grosso e Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso.

“Nosso objetivo com a criação da Rede protetiva é que as mulheres vitimadas tenham uma resposta mais efetiva ao grave problema da violência. Queremos que as mulheres se sintam seguras em procurar a ajuda do poder público e do judiciário. Com a Rede de Proteção, será possível ampliar e melhorar a qualidade do atendimento, com identificação imediata da violência e encaminhamentos adequados, além de manter a integralidade e humanização do atendimento sem o acometimento de violência institucional”, explicou.

 

Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso

Twitter: @estrelaguianews

 

 

 

 

 

About rosano

Check Also

Prefeito busca solução para pagamento de salário dos funcionários da Santa Casa

Em reunião com os funcionários, prefeito disse que está buscando aspecto legal, fluxo de caixa ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *