Home / Cidades / Deputada Janaína Riva quer instalação de CPI

Deputada Janaína Riva quer instalação de CPI

A

A deputada estadual Janaína Riva (PMDB) irá propor a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a suposta rede clandestina de grampos ilegais realizadas pela Polícia Militar do Estado de Mato Grosso.

O requerimento deve ser apresentado já na sessão plenária desta terça-feira (16.05). A peemedebista foi alvo escutas telefônicas ilegais. Além dela, o advogado José do Patrocínio e o jornalista José Marcondes “Muvuca” também foram grampeados.

“A CPI se justifica especialmente em razão do absurdo que significa o ainda governador Pedro Taques, com seu auto propalado saber jurídico, se limitar a alegar desconhecimento acerca da matéria e covardemente buscar fugir ao problema, imputando a membros do Ministério Público uma conduta criminosa que – por ação ou por omissão – foi praticada por ele próprio, chefe do Poder Executivo e da Polícia Militar”, justificou a parlamentar.

A suposta arapongagem por parte do Governo do Estado veio à tona na semana passada com a saída do secretário-chefe da Casa Civil Paulo Taques.

A denúncia sobre o fato partiu do promotor de justiça Mauro Zaque, que já integrou o staff do governador Pedro Taques (PSDB) no ano de 2015, e noticiada pelo Fantástico, da Rede Globo, no último domingo (12).

“Por incrível que possa parecer, ainda mais estarrecedor do que a peculiar e constante arrogância do Governador Pedro Taques, foi a utilização, como “barriga de aluguel”, da insigne corporação da Polícia Militar do Mato Grosso e do Poder Judiciário local para fazer inserir diversos terminais telefônicos de terceiros em meio a investigações policiais em curso para espionar agentes públicos, assim como particulares de interesse do governo”, acusou Janaina.

Para ela, o governador quis se eximir da sua responsabilidade ao alegar que não tinha conhecimento dos fatos expostos pelo promotor Mauro Zaque em denúncia encaminhada a Procuradoria Geral da República.

“Pedro Taques, na qualidade de Comandante Máximo da Polícia Militar, não pode pretender fugir à responsabilidade, que é sua, pela ocorrência desses lamentáveis episódios”, enfatizou.

A deputada afirma que ficou indignada com o fato, e garante que irá apresentar pedido de investigação criminal à Procuradoria Geral da República e ao Conselho Nacional de Justiça.

 

Diário de Cuiabá

Twitter: @estrelaguianews

 

 

About admin

Check Also

A

Polícia Civil incinera mais de 400 quilos de drogas em Primavera do Leste

O carregamento de drogas apreendido no domingo (12), durante a operação “Blindagem”, no município de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *