Home / Moda / De opressor a ícone de feminilidade

De opressor a ícone de feminilidade

A

Adepta do corset há mais de sete anos a Cleo aprova e indica, tanto para diminuir medidas quanto para manter a postura, e é claro deixar o visual ainda mais ousado e bonito. Você sabe o que é um corset e sua história?

O corset como conhecemos hoje passou por inúmeras modificações, no entanto, teve seu ressurgimento, já que aparece na história ainda na grécia antiga, por meio das criações de Roxey Ann Caplin, escritora e inventora britânica apontada como a criadora do corset vitoriano, o mais próximo dos corsets que se usa hoje em dia. A peça sem alças e em formato de ampulheta, não em forma de cone como nas décadas anteriores, começa a ser difundido e amplamente utilizado na Europa.

Os punks na década de 70 deram o toque subversivo a esse objeto, com histórico de underwear, por meio deles o corset começa a ser utilizado como uma peça externa. Se hoje o usamos como uma peça de estilo, devemos muito disso à subcultura punk. Ícones da moda como Christian Lacroix, Vivienne Westwood, Thierry Mugler, Jean Paul Gaultier incorporaram essa peça em suas coleções, tornando-a ícone fashion.

Cleo Pires na janela usando corset

São elaborados com tecidos muito resistentes, divididos em várias camadas e amarrados nas costas com espécies de barbantes, normalmente de alumínio ou aço. O corset é dividido em duas linhas, Tight Comfort, para uso diário, utilizada na prática de Tight Lacing, técnica para afinar a cintura, com desenhos básicos e visando o conforto e a leveza; Fashion, ideal para festas, focando na beleza da peça e na riqueza de detalhes do material.
Existem também outras subcategorias do corset relativas a sua modelagem:

Underbust – ficando abaixo do busto e contornando a região dos seios;
Midbust – que fica na região do meio busto;
Overbust – que cobre todo o busto;
Overbust – bojo, que cobre o busto e tem a utilização de um bojo;
Ribbon – parecido com o underbust, porém o contorno dos seios é reto;
Waist Cincher – semelhante ao Ribbon, mas com barbantes na horizontal.

Cleo usando corset vermelho

Falar do corset sem citar a colaboração da Madonna para a disseminação do seu uso e libertação do estigma de opressor feminino nos anos 80 é impossível. Por meio da cantora a peça antes com status de opressora da sexualidade, passa a ser associado a imagem da mulher forte e sexy, agressiva. A cultura de massa assimilou a peça que hoje vai muito além de redução de medidas, correção postural, e objeto fashion, é um ícone de feminilidade que associa estilo, atitude e sensualidade.

Madonna colaborou para disseminar o corset

 

Site da Cleo

Twitter: @estrelaguianews

About admin

Check Also

A

Uma nova forma de consumir está entre nós, com muito mais responsabilidade e amor

O consumo consciente onde se compra menos, procura-se mais qualidade e se investe em coisas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *