Home / Destaques / Comissão avalia ação e projeta 2020 de mais acessibilidade

Comissão avalia ação e projeta 2020 de mais acessibilidade

Publicado por: Rosano Almeida

Avaliar os trabalhos desenvolvidos e prospectar as próximas ações para 2020 foram os objetivos da última reunião da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso este ano. A equipe se reuniu na sala anexa ao Espaço Memória no TJMT.

A supervisora e coordenadora da comissão, desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, ressaltou os grandes avanços realizados neste ano. “Foram frutíferos nossos trabalhos e estamos com várias metas a serem atingidas no ano que vem. Este ano nos dedicamos a eliminar falhas e desenvolver melhorias que foram detectadas por nossas equipes. Em 2020 faremos uma enquete aberta à população, não só aqui na Capital, mas também nas comarcas do interior. Aguardaremos as sugestões que serão avaliadas e atendidas, conforme necessidade e possibilidade”, disse a magistrada.

Ela e a juíza Marilza Aparecida Vitório, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Várzea Grande, que representa o Primeiro Grau de Jurisdição na comissão, ouviram resultados apresentados pelos membros da comissão e representantes de áreas. O diretor de Planejamento, Flávio de Paiva Pinto, mostrou o documento que comprovou a conquista da Categoria Prata no Prêmio de Qualidade alcançado há poucos dias pelo TJMT, junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O quesito acessibilidade atingiu nota máxima na avaliação do CNJ. Ele parabenizou a desembargadora em nome do presidente, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha.

O diretor falou de resultados e também fez sugestões, como ouvir as associações. “A forma mais direta é buscar as associações. O que vocês necessitam nos prédios do Judiciário? Podemos ter um diagnóstico do que necessitamos ainda fazer”, disse Flávio.

O coordenador de Tecnologia da Informação, Thomas Augusto Caetano, falou dos sistemas “Fizemos a entrega do VLibras no site. Adotamos um padrão que altera a taxa de contraste, capacidade de aumentar a letra, de navegar em diferentes dispositivos e de utilizar as ferramentas de acessibilidade que tem nos navegadores. São diversos itens neste padrão, que é internacional. Poderemos ter mais avanços no ano que vem, conforme as aprovações da Administração”, pontuou o coordenador de TI.

O coordenador de Recursos Humanos do TJMT, Lusanil Egues da Cruz, sugeriu pesquisas para atualização de soluções já adotadas. “Temos que nos dedicar a melhorias e isso só conseguimos com estudo e pesquisas junto a outros Poderes e instituições“, considerou Lusanil, que foi apoiado pela desembargadora.

A Escola dos Servidores desenvolveu dois cursos de Libras este ano. Além dos 26 participantes já aprovados na primeira turma, outros 30 compõe a segunda turma. Contando com as atividades do Judiciário em Movimento, os Polos de Tangará da Serra, Diamantino e Juína já foram atendidos, perfazendo o total de 63 servidores capacitados no nível básico de Libras no PJMT. O coordenador de Infraestrutura, Roberto Cyriaco da Silva, também relatou a melhoria estrutural de acessos e banheiros.

O grupo de participou da reunião foi ainda composto pela vice-diretora geral do TJMT, Cátia Valéria Maciel de Arruda, a coordenadora Administrativa Marluce Peixoto de Assis Martins, a coordenadora Judiciária Mariely Carvalho Steinmetz, a assessora da desembargadora Nilza, Fátima Regina Cunha Félix, o assessor de planejamento da Coplan, Ângelo Carlotto, o representante dos servidores com deficiência, Fábio Miralla e a assessora Danielle Zark Borges. A próxima reunião foi agendada para o dia 14 de fevereiro de 2020.

 

TJ/MT

About rosano

Check Also

Lucimar entrega 10ª Praça revitalizada com equipamentos de ginástica e parque infantil

Publicado por: Rosano Almeida Por: Cláudia Joséh – Secom/VG A Prefeitura de Várzea Grande entregou mais ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *